Confira o impacto da greve dos caminhoneiros no RN

POR INTERINO

Levantamento feito pela Tribuna do Norte mostra impacto da greve dos caminhoneiros em outros setores. Confira:

Transportes:
Frota está reduzida em Natal devido à falta possibilidade de faltar nos postos. Apenas 70% dos ônibus estão circulando pela cidade.

Ceasa:
Os produtores e distribuidores afirmam que, a partir de segunda-feira, não haverá mais alimentos perecíveis para serem vendidos pela Central de Abastecimento.

Segurança:
A Secretaria do Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) está reunida desde a sexta-feira (25) com membros do Exército, a fim de traçar um plano de ação para a retirada dos caminhoneiros das rodovias estaduais, em cumprimento ao decreto presidencial lançado por Michel Temer nesta sexta-feira (25). Não há previsão para quando o Exército vai atuar fisicamente nos bloqueios, mas eles já se reuniram com o governador Robinson Faria e garantiram a retirada dos caminhoneiros.

Saúde:
A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) afirmou que a rotina nos hospitais e serviços administrativos permanece sem alteração, mesmo após cinco dias de bloqueios dos caminhoneiros em rodovias no RN. Não há registro de falta de alimentos, ou insumos ambulatoriais. Funcionamento de         ambulâncias também permanece normal.

Supermercados:
A associação que representa os supermercados no Estado disse que os estoques estão baixos, e que algumas lojas de hipermercados de redes nacionais e internacionais informaram que estão com problemas de abastecimento. Ainda não há recomendação sobre limitação a quantidade de produtos comprados pelos consumidores.

Coleta de lixo:
A Companhia de Serviços Urbanos de Natal (URBANA) solicitou à população natalense que evite colocar lixo domiciliar em locais inapropriados, e nem deposite o lixo da sua casa, podas e entulhos em terrenos baldios. Em virtude da possibilidade da falta do combustível, trechos mais longos, e fora do previsto, podem acarretar a paralisação dos serviços de coleta nos próximos dias. Os serviços continuam normais na cidade. Em Parnamirim, a Secretaria de Limpeza Urbana (Selim) informou que o serviço de coleta na cidade ficou 70% comprometido.

Bancos:
A TecBan, empresa que administra a RedeBanco24horas, disse que há o risco dos caixas não serem abastecidos devido à paralisação. Caso não haja a disponibilidade de combustível em algumas regiões, os carros fortes poderão ficar impossibilitados de realizar o abastecimento dos caixas.  Até o momento, no entanto, a empresa não relatou casos de caixas sem dinheiro devido à falta de combustíveis.

UFRN
A Universidade Federal do RN informou, através de nota que, até segunda ordem, a UFRN estará aberta e com atividades regulares. Entretanto, não está descartada a adoção de tratamento diferenciado à condução das atividades acadêmicas e administrativas previstas para os próximos dias caso a situação não seja normalizada.



source https://www.blogdobg.com.br/confira-o-impacto-da-greve-dos-caminhoneiros-no-rn/
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário