Dia Mundial do AVC: Reabilitação imediata após o AVC reduz sequelas e óbitos

Reabilitação imediata após o AVC reduz sequelas e óbitos
Imagem relacionada
Imagem: Dicas sobre Saúde
Acidente Vascular Cerebral atinge 17 milhões de pessoas em todo mundo a cada ano¹. Organização Mundial do AVC (WSO) estima que 70% dos pacientes terão alguma sequela funcional.

No dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial do AVC, data escolhida para promover orientações a respeito de uma das ocorrências que mais matam pessoas no mundo todos os anos: o acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame cerebral. Quando não mata, o AVC gera sequelas funcionais em pelo menos 70% dos casos – de acordo com a Organização Mundial do AVC (WSO), levando a incapacidade de execuções de tarefas simples ou complexas, isolamento social, perdas financeiras, entre outros, muitas dos quais que poderiam ser evitados com atendimento emergencial e pronta introdução de terapias de reabilitação. 

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a segunda maior causa de morte no mundo, afetando de forma mais prevalente pessoas acima dos 60 anos de idade, responsável por 6,7 milhões de óbitos em 2012. No Brasil, entre as principais causas de morte, as doenças cerebrovasculares ocupam o primeiro lugar.²

Existem dois tipos de AVCs: o isquêmico, mais comum (80% dos casos) e gerado pelo entupimento das e o hemorrágico (mais grave), em que ocorre o rompimento de artérias e sangramento no cérebro. 

Os principais fatores de risco para a doença são divididos em não modificáveis e modificáveis. Os fatores não modificáveis são: idade avançada, o sexo masculino e a raça negra. Já os modificáveis são, principalmente, a hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e o tabagismo. Estratégias que podem melhorar a prevenção da doença consistem em ações como medir e controlar regularmente a pressão arterial de acordo com as orientações médicas, sobretudo em pessoas hipertensas em uso de medicações. Reduzir o sal na alimentação, controle do diabetes, eliminar o tabagismo, praticar atividade física e evitar o estresse são fatores de prevenção igualmente importantes.

Quanto mais rápido for o socorro, menores as chances de sequelas

As recomendações¹ internacionais indicam que o reconhecimento dos sinais do AVC deve ser imediato e assertivo, dada a gravidade das sequelas, que dependerá do tempo de atendimento e do diagnóstico precoce. O AVC é considerado uma emergência médica: Tempo faz a diferença e as sequelas são resultantes da demora em procurar o atendimento médico a partir do início dos sintomas e também da área do cérebro atingida. Na dúvida, procure um atendimento médico o mais rápido possível. As maiores chances de recuperação ocorrem quando o atendimento médico ocorre até 4 horas após o início dos sintomas.³

A importância da reabilitação pós-AVC

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o AVC é a primeira causa de incapacidade funcional no mundo, devido a sequelas permanentes ou temporárias, de acordo com a gravidade do derrame e as condições do indivíduo.

Dados mais recentes do Ministério da Saúde apontam que morreram no país, aproximadamente, 100 mil pessoas em 2014. No mesmo período, mais de 180 mil pacientes foram internados para o tratamento do AVC no Sistema Único de Saúde (SUS). A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS)², inquérito epidemiológico de base domiciliar, avaliou o número absoluto estimado de pacientes com AVC e incapacidade por AVC: mais de 2 milhões de pessoas com AVC e 568.000 com incapacidade grave. A prevalência de AVC foi pontual, de 1,6% em homens e 1,4% em mulheres, e incapacidade de 29,5% em homens e de 21,5% em mulheres.

De acordo com a médica fisiatra e Diretora da Rede Lucy Montoro de Reabilitação da cidade de Rio Preto (SP), Dra. Regina Chueire (CRM SP43328), este é um fator de grande comprometimento para a sua qualidade de vida. "O tratamento deve ocorrer ainda na fase aguda dentro dos hospitais e deve seguir em centros de reabilitação com equipe multidisciplinar que atuará para a reintegração do paciente à sociedade com atividades orientadas para a recuperação de funções neurológicas para a retomada da fala, mastigação, deglutição, movimentos e força de membros, entre outros.", diz a Fisiatra.

Frequentemente o paciente desenvolve espasticidade (comprometimento do tônus muscular e exacerbação dos reflexos de contração à movimentação) dos membros, perda de autonomia e dependência funcional. O comprometimento da função motora prejudica as tarefas de vida diária como alimentação, locomoção e os cuidados de higiene. Quando não tratada, causa contraturas, rigidez, luxações, dor e deformidades.

O tempo faz a diferença no processo de reabilitação, pois o tratamento iniciado de forma precoce aumenta as chances de recuperação do paciente e melhora de sua qualidade de vida.

A evolução da reabilitação pós-AVC com a ajuda da toxina botulínica A

Aprovada pela ANVISA para o tratamento de espasticidade desde 1992, a Toxina Botulínica A (BOTOX®), é uma das indicações para a reabilitação pós-AVC, sendo aplicada diretamente nos músculos afetados pela espasticidade para o relaxamento do tônus muscular e melhora da dor associada ao quadro de contração.

A aplicação intramuscular da Toxina Botulínica A promove o relaxamento das fibras musculares, quando há limitação dos movimentos, principalmente, dos braços e das pernas. O relaxamento dos músculos melhora a mobilidade e facilita o trabalho da fisioterapia sobre os membros afetados.

"A introdução da toxina botulínica foi um grande advento no processo de reabilitação pós-AVC, no qual pude presenciar resultados excelentes de recuperação de pacientes", relata a médica que foi uma das pioneiras no uso da medicação no Brasil. 

A toxina já está disponível em centros de reabilitação de diversas regiões do Brasil se apresentando como uma importante alternativa dos serviços de saúde públicos para a redução em médio e longo prazo dos custos inerentes aos cuidados dos pacientes com sequelas funcionais.

Lista das Unidades de AVC localizadas em diversas cidades do Brasil: Centros de Reabilitação

Como saber se uma pessoa está tendo um AVC?

Se desconfiar que alguém próximo esteja tendo um AVC, peça a pessoa para:

- Rir (se estiver tendo um AVC ela não vai conseguir)
- Dizer uma frase simples, como "Hoje o dia está bonito"
- Levantar os dois braços (não vai conseguir realizar muito bem)
- Mostrar a língua (se estiver torta ou virada para outro lado é um sintoma)

Na presença de um dos sintomas, ligue para 192 (SAMU)


source http://www.diariopotiguar.com.br/2018/10/dia-mundial-do-avc-reabilitacao.html
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário