FAMILIARES DE HOMEM MORTO EM POSTO DE COMBUSTÍVEL EM MOSSORÓ, CONTESTA VERSÃO DADA NO DIA DO CRIME, E PEDEM JUSTIÇA.

Familiares de Sérgio Feitosa da Silva, 37 anos que foi morto na madrugada de 11 outubro 2018, em um Posto de Combustível no cruzamento da Felipe Camarão com Princesa Izabel,(RELEMBRE AQUI!!!) entraram em contato com nossa equipe para contestar informações repassadas no dia do crime, em respeito às circunstâncias do crime. Segundo a família, Sérgio não foi perseguido e morto ali. Ele teria chegado lá segundo a família, em companhia de amigos e ao pedir a chave do banheiro da conveniência ao segurança particular do posto, essa foi negada, e ele teria dito que iria urinar na rua, ou no pátio do posto. Houve uma discussão e sem mesmo Sérgio aparentemente fazer menção de algo, ou seja nada que pudesse levar a tão covardia, ele foi executado sem direito de se defender. "Ele não puxou arma, não foi pro carro fazer de conta que iria se armar. Simplesmente após a discussão ele foi brutalmente assassinado por um motivo fútil". Relatou o familiar que não quis se identificar. Ainda de acordo com a família o caso já está na DH (Delegacia de Homicídio de Mossoró), com Dra. Liana Aragão e Dr. Rafael Arraes, a prisão do acusado que não teve nome revelado para não atrapalhar o trabalho da polícia já foi expedido e ele permanece foragido. Vale ressaltar que não se trata de um policial o acusado. Ele apenas fazia a segurança particular do posto. "Meu primo morreu de uma fora covarde. Ele deveria ter chamado a polícia se caso ele tava querendo urinar na rua, não matar de uma forma cruel e covarde dese jeito".



Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário