Mergulhador flagra polvo bebê morando em copo plástico

Muito se fala hoje sobre como o nosso lixo impacta os ecossistemas, e ainda assim o assunto não deixa de ser necessário e urgente. Estima-se que existam resíduos na ordem dos trilhões, totalizando mais de 260.000 toneladas de resíduos de plástico que vagam nos oceanos. Os diferentes tipos de plástico e tintas não só poluem as próprias águas, como também são perigosos para a vida marinha.

Um vídeo que recentemente viralizou nas redes sociais serve como alerta e como o mais perfeito exemplo do dano causado pelo nosso lixo nos oceano. Na gravação, os mergulhadores de Lembeh, na Indonésia, tentam convencer um polvo venoso bebê a mudar de “casa” – de um copo de plástico transparente, para duas conchas do mar.

Pall Sigurdsson e outros mergulhadores esbarraram por acaso com um polvo bebê morando em um copo de plástico. E em uma entrevista ao site Bored Panda, o engenheiro e entusiasta de mergulho da Islândia afirmou que gosta de filmar os animais que encontra durante suas aventuras subaquáticas.

Quando perguntado sobre seu encontro com o polvo bebê, ele explicou: “Esse era nosso terceiro mergulho naquele dia, e todos estávamos começando a ficar um pouco cansados. Meu companheiro de mergulho me fez um sinal indicando que ele havia encontrado um polvo dentro de um copo plástico e me pediu ajuda.

“Não é a primeira vez que vejo polvos fazendo casas com lixo. Eles são animais inteligentes e usam seu ambiente em proveito próprio, e o lixo é uma parte permanente de seu ambiente agora”, continuou Sigurdsson. “No entanto, o polvo com seus tentáculos macios não sabia que este copo praticamente não oferece proteção e, em um ambiente competitivo como o oceano, esse copo era uma sentença de morte garantida.”


Sigurdsson e os outros mergulhadores ficaram tão comovidos com a situação do pequeno polvo que não mediram esforços para ajudá-lo, mesmo que isso significasse usar todo o tempo de mergulho que tinham e todo o oxigênio disponível. No final, seus esforços foram recompensados quando eles finalmente conseguiram convencer o novo amigo a mudar de “imóvel”.

Os polvos venosos nascem com o instinto de se protegerem e procuram (por norma) conchas para fazerem delas uma casa móvel. No entanto, na ausência de materiais naturais, eles também buscam o que encontraram no fundo do oceano, como copos ou recipientes vazios de plástico.

Isso não apenas significa que o polvo se torna vulnerável aos predadores, por causa do plástico transparente, como também significa que os predadores comem o polvo junto com o plástico.


Foi perguntado a Sigurdsson se o lixo é uma ocorrência comum em sua experiência de mergulho e ele responde: “Há dias bons e dias ruins, dependendo das correntes oceânicas.

Alguns dias, você vê tanto lixo que é quase impossível filmar criaturas marinhas sem incluir também o lixo.”

“Tento o máximo possível fazer as pessoas verem o oceano quando ele está ‘melhor’. Certa vez, vi uma família de peixes anêmona vivendo ao lado de uma bateria corroída. Isso foi de partir o coração” – suspira Sigurdsson

O plástico é o principal poluente nos oceanos e todos têm o dever de tornar os oceanos um lugar melhor. Sigurdsson elaborou isso dizendo: “A maioria dos lixo afunda (incluindo plástico). E a maioria das pessoas fala apenas das partes que consegue ver, ou seja, as partes que flutuam, mas essa é apenas uma parte do problema. ”

Vejam o vídeo:


Com informações de catiororeflexivo | CONTI OUTRA


source http://www.diariopotiguar.com.br/2019/11/mergulhador-flagra-polvo-bebe-morando.html
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário